IA auxilia administração do transporte público durante a pandemia

Nos últimos meses, muitos trabalhos científicos na área de inteligência artificial têm sido reportados investigando diretamente o novo coronavírus e a COVID-19. Por outro lado, Abhishek Dubey, professor de ciência da computação da Universidade de Vanderbilt, no estado americano de Tennessee, está concentrando seus esforços em um dos efeitos indiretos da pandemia. Ele acaba de iniciar um projeto que pretende facilitar a administração do sistema de transporte público da cidade de Nashville diante do novo cenário imposto pela quarentena. O professor já tem experiência na área, sendo responsável pelo desenvolvimento de um aplicativo de smartphone que usa dados captados em tempo real para fornecer informações precisas e confiáveis sobre o transporte público para os usuários do sistema.

Alguns dos desafios que o sistema de transporte enfrenta atualmente são as alterações de demanda, tanto em número de usuários quanto nas suas rotinas de deslocamento, a escassez de motoristas, e o tempo aumentado de retorno dos veículos para as vias, em virtude dos protocolos de desinfecção. Isto acaba ocasionando dificuldades para o planejamento, a garantia da manutenção do serviço e até questões relacionadas a financiamento.

O projeto que está sendo iniciado já conta com financiamento pela Fundação Nacional de Ciência (NSF, National Science Foundation), órgão governamental americano de fomento à pesquisa, e vai num primeiro momento analisar dados de ocupação dos veículos para oferecer informações necessárias à garantia do distanciamento social. Os pesquisadores pretendem disponibilizar um mapa de ocupação em tempo real, permitindo que os usuários tenham as informações necessárias para obedecer os protocolos de prevenção da doença. Num segundo momento, essas informações vão ser usadas para estimar os padrões de ocupação, o que deve gerar recomendações às empresas responsáveis para definir o número de veículos adequados em cada rota, garantindo a segurança dos passageiros e motoristas.

Apesar de ter sido motivado pela situação atual, o projeto segue o conceito de cidade inteligente, que busca aplicar tecnologias baseadas em inteligência artificial para resolver problemas complexos de administração pública de forma mais eficiente. Por isso, é possível que o trabalho realizado pelos pesquisadores encontre aplicação futura, seja para resolver problemas rotineiros, seja para oferecer novas soluções, seja em novas situações incomuns que mudem o padrão de uso drasticamente.