IA habilita robôs a manipular rapidamente objetos pequenos e frágeis

A pandemia do novo coronavírus resultou em um problema para grandes lojistas virtuais, já que os protocolos de segurança exigem menos pessoas circulando em seus depósitos, o que pode atrapalhar com os processos de separação de produtos. Robôs autônomos têm potencial para auxiliar ou até automatizar completamente este processo, já que já são usados para tarefas de característica mais bem definida como movimentar caixas em sistemas de grid. Mas habilitar um robô a pegar um item irregular, que ele ainda não conheça, e transferi-lo para um recipiente de envio, é bastante complicado. O agente deve ter cuidado para não danificar o produto, seja no seu manuseio, seja na hora de alocá-lo no invólucro de destino.

Em um trabalho anterior, pesquisadores da Universidade da Califórnia Berkeley, nos Estados Unidos, desenvolveram um software que eles chamara de Planejador de Movimento Otimizado para a Manipulação (Grasp-Optimized Motion Planner, GOMP), que através de modelos matemáticos habilitava os robôs a calcularem como realizar o trabalho de maneira suave. Mas esta solução tinha como principal desvantagem o tempo de cálculo, que era relativamente longo. Agora, eles apresentam uma nova versão deste sistema, que aplica inteligência artificial para produzir resultados mais satisfatórios.

O novo algoritmo, apresentado em um trabalho publicado em novembro, usa uma rede neural treinada com vários movimentos pré-registrados para aproximar os movimentos necessários em um cenário novo, substituindo os modelos matemáticos utilizados anteriormente. Utilizar uma rede neural diminuiu drasticamente o tempo de computação, de 29 segundos para 80 milissegundos. A integração com o algoritmo GOMP usa os movimentos aproximados para produzir movimentos suaves que não mais apresentam riscos ao equipamento.

Estas inovações tornam o sistema apto a ser aplicado em um ambiente de depósito real, e devem contribuir para que robôs se tornem cada vez mais corriqueiros nestas situações. Além de separar produtos, novas aplicações podem ser facilmente encontradas para um robô capaz de movimentar itens pequenos de característica mais frágil.