Portal de busca aplica IA para esclarecer informações sobre o novo coronavírus

Um dos tópicos mais relevantes nas discussões recentes sobre debate público é o da desinformação. Se por um lado os canais de informação têm sido cada vez mais acessíveis, por outro, tem se tornado fácil divulgar, intencional ou acidentalmente, informações sem comprovação evidencial. Em tempos de crise como o que vivemos, causada pela pandemia, esta situação se torna alarmante, já que sem informações confiáveis, não temos como decidir as melhores medidas que devemos observar para limitar os efeitos maléficos causados pelo novo coronavírus. Este episódio ainda tem outro agravante: como o vírus só entrou pra valer no radar dos pesquisadores no início da pandemia, todos os dias são liberadas novas informações, inclusive algumas que parecem se contradizer.

O professor de Ciência da Computação Dan Roth, da Universidade Penn, nos Estados Unidos, já vinha trabalhando com o tópico chamado de poluição informacional, usando ferramentas de IA baseadas em processamento de linguagem natural. A pandemia foi o motivador para o desenvolvimento de uma ferramenta que busca organizar a avalanche de dados gerada sobre o assunto em uma forma com maior potencial para orientar o público. Sua equipe lançou uma ferramenta online que encontra e ranqueia informações relevantes e confiáveis sobre o novo coronavírus.

As ferramentas de busca mais populares disponíveis na internet ranqueiam seus resultados de acordo com palavras-chave e com índices de popularidade, mas este não é um método apropriado para o objetivo do projeto, já que palavras-chave não compreendem contexto e nem sempre informações confiáveis são as mais populares. Portanto, o sistema foi desenvolvido para procurar perspectivas diferentes ao mesmo tempo em que checa o grau de confiabilidade das fontes. Assim, as informações não ganham destaque pela quantidade com que foram citadas, mas sim por sua qualidade.

Até então, as iniciativas no mesmo sentido dependiam da curagem manual da informação, mas este processo é limitado tanto pelo tempo necessário quanto pela quantidade de profissionais disponíveis. A nova plataforma realiza a tarefa de checar as informações e colocá-las em contexto de forma automatizada, disponibilizada pela inteligência artificial que compõe o sistema.

A primeira iteração do mecanismo de busca já está disponível, mas a equipe responsável espera o feedback da comunidade para melhorar os modelos de processamento de linguagem e entregar uma ferramenta ainda mais robusta. O trabalho realizado agora certamente encontrará aplicação no mundo pós-pandemia, já que ser capaz de filtrar informações por sua qualidade é o próximo passo na democratização do acesso à informação.