NASA usa IA para identificar novas crateras em Marte

Marte é um dos corpos celestes mais investigados pela NASA. Além das sondas ocasionalmente enviadas para sua superfície, existem satélites em órbita que obtêm fotografias úteis para elucidar aspectos físicos, históricos e geográficos do Planeta Vermelho. Um desses satélites é o Mars Reconnaissance Orbiter (MRO), que é programado para tirar fotos em baixa resolução cobrindo grandes extensões do planeta cada vez que as sobrevoa. Essas fotos iniciais permitem identificar pontos de impacto de meteoros, que são então selecionados para uma inspeção mais detalhada com outra câmera de maior resolução. Entretanto, muitos atributos pequenos na superfície de Marte acabam passando despercebidos por este método de investigação. Por isso, as imagens são inspecionadas por cientistas, o que depende de horas de trabalho de avaliação visual.

No final do ano passado, a NASA divulgou que desenvolveu um algoritmo baseado em inteligência artificial capaz de ajudar os pesquisadores a descobrir novas crateras em Marte. O classificador foi treinado com 6830 imagens em baixa resolução, incluindo exemplos contendo crateras identificadas por pessoas, e áreas livres de crateras. Após treinamento, o modelo recebeu para avaliação 112 mil imagens que não haviam sido analisadas. Neste enorme dataset inédito, ele conseguiu reconhecer 21 áreas de interesse, indicando regiões onde os cientistas deveriam focar seus esforços para investigação mais detalhada. A primeira área demarcada para investigação já rendeu frutos: foi descoberto um cluster de crateras em uma região conhecida como Noctis Fossae, que de acordo com registros anteriores, deve ter sido formada pelo impacto de um meteoro entre março de 2010 e maio de 2012.

The HiRISE camera aboard NASA's Mars Reconnaissance Orbiter took this image of a crater cluster on Mars, the first ever to be discovered AI.
Novas crateras descobertas em Marte com auxílio da inteligência artificial. Créditos: NASA/JLP-Caltech/Universidade do Arizona. Fonte: https://www.jpl.nasa.gov/images/ai-spots-a-cluster-of-mars-craters-hirises-view/

Esta foi a primeira vez que a NASA usou um algoritmo com o objetivo de encontrar novas crateras em Marte. Além de diminuir o fardo sobre os pesquisadores, que podem se dedicar às etapas mais avançadas de investigação, a abordagem permitiu a análise de um número muito maior de imagens que seria possível analisar visualmente. A experiência dos cientistas continua sendo necessária para confirmação das descobertas, mas a inteligência artificial já é capaz de agir como um assistente extremamente competente.