IA para acelerar a recuperação de cirurgias e reduzir os custos médicos

A inteligência artificial já vem sendo utilizada para ajudar médicos a produzir diagnósticos e decidir pelos melhores tratamentos, mas a Intermountain Healthcare, uma prestadora de serviços de saúde americana, está indo um passo além, incluindo no processo de decisão algo que também é relevante aos pacientes, o tempo de recuperação e o custo dos procedimentos.

O sistema desenvolvido pela empresa integra dados da cadeia de suprimentos relacionada aos procedimentos médicos, reclamações feitas pelos pacientes e demais agentes envolvidos, e outras informações que tenham um impacto financeiro, indo desde 30 dias antes da cirurgia até 90 dias depois. A inteligência artificial é responsável por identificar as melhores condições que geram o menor custo-benefício, ou seja, cujo custo seja mínimo dentro de uma margem, mas que produzam o menor tempo de recuperação. Esta abordagem é inovadora, já que antes, sem ter uma ideia do real impacto prático de cada atributo, os sistemas de saúde costumavam reduzir o custo eliminando primeiro as etapas e os equipamentos mais dispendiosos, que geralmente estão relacionados ao próprio episódio cirúrgico. Agora, a análise da janela de 120 dias permite ter uma ideia muito melhor de quais fatores são responsáveis pelos melhores resultados, o que permite reduzir os custos no processo.

Um exemplo é uma cirurgia do joelho, que além de levar em consideração o custo da operação, também avalia os medicamentos, os exames de imagem, a fisioterapia e qualquer complicação que tenha ocorrido no período de 120 dias. Se o procedimento for ligeiramente mais caro mas proporcionar uma recuperação mais rápida, o custo final tende a ser menor do que das alternativas, e agora o sistema tem condições de reconhecer esta estratégia.

Na prática, o sistema está produzindo relatórios que são encaminhados aos médicos do grupo, mostrando onde os custos podem ser reduzidos e como outros médicos da mesma área estão melhorando os resultados de seus pacientes. O médico responsável pode então decidir pela melhor opção, levando em consideração qualquer outro fator que a inteligência artificial não esteja tratando.

Por enquanto, a Intermountain Healthcare está usando o sistema apenas para alguns procedimentos selecionados, mas eles já estimam obter uma economia de cerca de 8 milhões de dólares no ano.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.