IA auxilia projeto de proteção de elefantes através do seu monitoramento por satélite

Há décadas que os elefantes estão no radar de iniciativas de proteção animal, mas uma das maiores dificuldades destes projetos está no monitoramento dos animais. Tradicionalmente isto é feito por contagem aérea, o que tem um grau muito pequeno de eficiência, é caro e demanda tempo.

A pesquisa de um grupo da Universidade de Bath, na Inglaterra, promete melhorar consideravelmente esta etapa dos esforços conservacionistas, através do emprego de inteligência artificial para a análise de imagens de satélite. No trabalho publicado, os cientistas detalharam que construíram redes neurais convolucionais para identificar e contar os animais usando imagens obtidas do espaço. O estudo teve alguns fatores complicadores, como o fato de que os elefantes habitam regiões com vegetação bastante diversa, e costumam se cobrir com lama, o que dificulta sua identificação, mas as redes convolucionais demonstraram alta eficiência na realização da tarefa.

O sistema foi treinado com imagens de alta resolução obtidas pelos satélites WorldView-3 e WorldView-4, enquanto sobrevoava o Parque Nacional de Elefantes Addo, na África do Sul, entre 2014 e 2019. Os pesquisadores escolheram imagens de diferentes estações do ano e hábitats, para que o algoritmo tivesse a capacidade de discernir os animais em todas as condições possíveis. Na fase de avaliação, o desempenho do algoritmo foi comparado com o de anotadores humanos especialistas, revelando que a acurácia dos dois métodos era equivalente, na faixa de 75%.

Entretanto, o algoritmo se revelou limitado na análise de áreas fora do parque, onde sua acurácia caiu para 57%. Os autores do trabalho creditam a isso a falta de uma coleção de dados ainda mais diversa, o que por sua vez se deve em grande parte ao custo de obtenção das imagens de provedores comerciais. Ainda assim, já existem iniciativas de financiamento coletivo na área, e há a tendência de que o custo das imagens diminua no futuro, o que deve tornar o processo de monitoramento – deste e de outros animais – cada vez mais fácil e acessível.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.