Startup usa IA para facilitar acesso ao direito ao esquecimento na Europa

Na semana passada, o Supremo Tribunal Federal votou sobre a constitucionalidade do direito ao esquecimento, que defende que um cidadão possa solicitar para que seus dados ou informações não sejam mais usados ou veiculados por empresas. Na Europa, este direito foi reconhecido na forma de uma lei que entrou em vigor em maio de 2018, fazendo parte da chamada Regulamentação Geral de Proteção dos Dados. Entretanto, a maioria dos cidadãos ainda não sabe como usufruir deste direito, já que nem sempre é evidente saber quais empresas possuem quais dados. Os maiores players da internet são detentores óbvios de dados pessoais, mas e as pequenas empresas que solicitam acessos toda vez que instalamos um novo aplicativo?

Visando auxiliar as pessoas interessadas, a startup Mine desenvolveu uma inteligência artificial que se baseia em algoritmos de processamento de linguagem natural para determinar a localização virtual de dados pessoais. Depois de uma pesquisa inicial, eles descobriram que 90% das companhias que coletam dados pessoais costumam se comunicar com seus clientes por email, de forma que elas estarão presentes nas caixas de entrada deste serviço. Então, buscando preservar a privacidade de seus clientes, eles buscaram formas de identificar as empresas com o mínimo de informação possível, o que no caso se limitou ao assunto e endereço do remetente do email. Esta informação é cruzada com as políticas de privacidade das empresas para determinar quais dados dos usuários são mantidos, permitindo aos usuários do serviço administrar de forma detalhada suas “pegadas digitais”. Depois, o usuário pode submeter pedidos automáticos do “direito de ser esquecido” às empresas relacionadas, com a facilidade de apertar um botão.

Antes de entrar em funcionamento há pouco mais de um ano, a Mine funcionou em regime de testes, completando mais de 25 mil requisições, as quais foram acolhidas em até 30 dias por 64% das empresas.

O trabalho da startup trouxe ainda algumas informações interessantes sobre o assunto. Os usuários de seu aplicativo têm seus dados presentes em uma média de 350-400 empresas, sendo que com 80% delas ouve uma única interação. Este número tem crescido na taxa média de 8 novas empresas por mês. Agora, estes usuários podem controlar melhor quem mantêm suas informações pessoais em seus bancos de dados.

A Mine continua trabalhando no aprimoramento de seus modelos, e tem a intenção de em breve oferecer seus serviços também a empresas, para que possam controlar o que outras empresas sabem a seu respeito.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.