IA completa a Décima Sinfonia de Beethoven

Ludwig von Beethoven morreu em 1827, três anos depois de completar sua Nona Sinfonia. Neste meio tempo, ele havia começado a trabalhar na Décima, mas o trabalho foi interrompido pela fatalidade, e só ficaram alguns rascunhos. Os fãs e musicologistas sempre especularam sobre esta obra inacabada. Em 1988, o compositor Barry Cooper construiu o que seriam os dois primeiros movimentos da sinfonia, de um total de quatro, a partir das anotações de Beethoven, mas o resto do trabalho se mostrou inescrutável.

Pelo menos até agora. Uma parceria entre a Universidade de Rutgers, nos Estados Unidos, e a startup Playform AI, desenvolveu uma inteligência artificial que se mostrou capaz de construir a peça inteira. O trabalho foi lento e minucioso, envolvendo especialistas de música e de inteligência artificial, que ao longo de mais de dois anos foram refinando o sistema para que ele conseguisse entender o processo criativo de Beethoven. Com esta técnica adquirida, o sistema foi então capaz de elaborar a sinfonia inteira, usando as anotações do compositor como base.

Em uma publicação que descreve o processo produtivo, Ahmed Elgammal, diretor do Laboratório de Arte e IA da Universidade, comenta que alguns algoritmos já foram utilizados antes para produzir peças musicais, mas nada tão audacioso quanto este projeto. Em 2019, o trabalho, ainda em andamento, foi colocado à sua primeira prova, quando um pianista performou parte da peça construída pela inteligência artificial, desafiando jornalistas, pesquisadores e experts a identificar os trechos originais. Eles não foram capazes de perceber a diferença. Motivados pelos resultados, os pesquisadores passaram os próximos 18 meses aprimorando o processo, até chegar ao trabalho final: dois movimentos inteiros, construídos e orquestrados, de mais de 20 minutos cada.

Ahmed é enfático quando diz que o projeto todo foi uma colaboração íntima entre os especialistas e a inteligência artificial, e que não seria possível sem a participação das duas partes. A peça inteira será orquestrada ao público pela primeira vez no próximo dia 9 de outubro na Alemanha, mas uma demonstração pode ser ouvido pelo link mencionado acima.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.