IA demonstra ser capaz de fazer descobertas no campo da matemática pura

A inteligência artificial já provou seu valor na resolução dos mais variados tipos de problemas práticos, mas semana passada, ela mostrou também ser uma importante aliada em campos mais teóricos. Um trabalho conjunto entre cientistas da Universidade de Sidney, na Austrália, da Universidade de Oxford, no Reino Unido, e do DeepMind, grupo de pesquisas do Google, provou e sugeriu novos teoremas matemáticos, auxiliado pela inteligência artificial.

Tradicionalmente, a matemática envolve descobrir e usar padrões para formular e provar conjecturas, resultando em teoremas. A ferramenta mais elementar nesta busca é a habilidade mental e intuitiva do pesquisador, mas desde a década de 60, os cientistas têm usado computadores para ajudá-los a desvendar padrões que extrapolam a capacidade humana. Com o novo trabalho publicado, os autores demonstraram que a inteligência artificial é uma evolução natural desta parceria, possibilitando descobertas ainda mais complexas.

Os dados que os pesquisadores usaram para alimentar o algoritmo eram oriundos de objetos matemáticos e suas relações, que em princípio não têm existência concreta, como no caso das aplicações práticas envolvendo machine learning. O processamento com técnicas de atribuição auxiliou a guiar a intuição e propor conjecturas. Uma vez que o framework estava definido, os cientistas usaram a técnica para responder a questões atuais de diferentes áreas da matemática pura, mostrando como o sistema produziu contribuições relevantes para importantes problemas em aberto. Foi possível, por exemplo, provar uma conjectura que estava pendente há 40 anos, e descobrir uma conexão desconhecida entre dois subcampos de uma área, o que resultou em um teorema completamente novo que deve ajudar a entender a fita do DNA e a relação entre as forças na coroa solar, por exemplo.

Os pesquisadores consideram que o trabalho mostra que a inteligência artificial é um poderoso framework para descobrir e provar conjecturas interessantes em áreas com alto volume de dados disponível, ou onde os objetos são muito grandes para serem estudados pelos métodos clássicos. De um ponto de vista mais amplo, a inteligência artificial demonstra ser capaz de resolver não somente problemas práticos, mas de também investigar as fundamentações teóricas que possibilitam que as soluções práticas sejam descobertas. Ela não somente aplica princípios, mas ajuda a elucidar os princípios que lhe permitem produzir soluções.

Ou, como disse um dos autores do trabalho: “A inteligência é melhor pensada como um espaço multidimensional com múltiplos eixos: inteligência acadêmica, inteligência emocional, inteligência social. Minha esperança é que a IA possa providenciar outro eixo de inteligência com o qual possamos trabalhar, e este novo eixo vai aprofundar nosso entendimento do mundo matemático”.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.